domingo, 28 de fevereiro de 2010

AS MOÇA E O ANJO

As moça riem
Não é de mim
São delas mesmas
As suas maquilagens estão borradas
Nervosas sentem inveja da competencia alheia
As moça (da escola) são fúteis
Sensibilidade?
Se quer achar converse com os homens desabusados, diferentes, sem rótulos
Por um momento o rio vermelho corre estranho
Irrito-me com suas gaitices
Não as amo, senão
As inventaria de outra forma
Descarrego afinal
Sou um anjo
Repare as asas que crescem em minhas costas: eis a minha crença
As moça vão passar pela janela.
Acenos.



Rudi Rot