quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O QUARTO


Pela primeira vez eu me sinto inteiro dentro do meu quarto
Já se passaram tantos amores...
E sobrevivo em meio a tantas lembranças suas
Esperanças nuas
E busco o canto que me deixa mais livre
Um quarto só meu, onde eu me espreguiço no cheiro que você involuntariamente deixou sobre a cama

Pela primeira vez eu escrevo um livro
Vivo em um lugar que já me deu tanto prazer
Um bem-estar que só entende quem tem um quarto pra si
E quando apago as luzes, inevitavelmente eu vejo a sua silhueta na parede
Que sede !
Você confia em mim?
Então me diga o que você sente quando entra no meu quarto?
Acolhida?
Era exatamente isso que eu queria

Pela primeira vez, eu em meu quarto, descubro que estou me apaixonando por você
E agora o que fazer?
Desaparecer?...Esquecer?...ou acreditar que a natureza e o tempo trabalham sem fazer alarde?
E antes que seja tarde
 Eu quero te dizer só uma coisa: Vamos nos permitir !


                                                                                                                                        Rudolf Rotchild