domingo, 13 de setembro de 2015

AUTO-REFLEXÃO

Deveríamos evitar falar palavras que os jovens usam no nosso dia-a-dia. Muitas são gírias da criminalidade. Ex: "E aí menor...".
O fato é que nos aproxima dos jovens mas ao mesmo tempo valoriza e fortalece a linguagem da criminalidade. Preisamos valorizar a nossa língua a nossa cultura que é contrário a violência urbana.